VOLTAR

Quilombo Urbano de Xambá celebra Yansã com programação especial, em Olinda

G1 https://g1.globo.com/
13 de dez de 2018

Para os adeptos das religiões de matriz africana, o dia 13 de dezembro é especial: o dia é marcado pelo toque de louvação a Yansã, orixá dos ventos e das tempestades. No Quilombo Urbano de Xambá, o terreiro tem uma programação especial com música e danças em homenagem a Yansã, também conhecida como Oyá. (Veja vídeo acima)

As cerimônias acontecem ao longo desta quita-feira (13) e contam com um convite aberto para todas as pessoas, baseado no respeito às religiões.

"As pessoas de outras religiões que quiserem vir serão bem-vindas. Nós respeitamos todas as religiões. Eu acredito que qualquer religião que haja dentro do seu seio uma questão de paz, de união e de bom convívio social é boa. Já dizia Dom Hélder Câmara: 'Não existe religião ruim, existe pessoas ruins nas religiões'", afirma Pai Ivo.

As atividades no terreiro tiveram início às 5h, com a alvorada, cerimônia com fogos e rituais de toques. Às 11h acontece o plantio de uma gameleira sagrada para Yansã e o lançamento e hasteamento da bandeira do Quilombo Urbano do Portão do Gelo da Nação Xambá com ritual para Yansã e participação da comunidade.

O principal momento do dia acontece às 12h, quando é feita o toque de louvação a Yansã, esse ano sem a cerimônia de coroação.

"É muito simbólico, é muito importante esse toque para a Nação Xambá. É o toque que acontece a coroação de Oyá. Desde a fundação do terreiro, ele aconteceia com Maria Oyá, que é a fundadora. Mãe Biu deu continuidade a esse toque, depois mãe Zeza foi coroada. Esse ano, o toque acontece sem a coroação porque o povo Xambá aguarda a indicação de uma nova Yansã", explica a jornalista Marileide Alves, integrante do terreiro.

Marileide Alves é também a escritora do livro "Povo Xambá Resiste - 80 anos da repressão aos terreiros em Pernambuco" que é lançado nesta quinta-feira (13), às 18h, durante cerimônia no terreiro.

O livro resgata a história da repressão aos cultos afrobrasileiros e traz fotos dos personagens que construíram a história da Nação Xambá e como eles mantêm rituais e crenças."As religiões têm que andar juntas. O Brasil é um país que precisa. A religião tem uma grande importância para o desenvolvimento social do país. Eu queria que as pessoas entendessem isso e que deixassem mais de diabolizar as religiões de matriz africana", diz Pai Ivo, fazendo referência aos ataques que acontecem frequentemente em terreiros de todo o país.

A Nação Xambá é o terceiro maior quilombo urbano do país e fica localizado por traz do Terminal Integrado de Xambá, na comunidade de São Benedito, no bairro de Peixinhos, em Olinda.

Confira a programação para Yansã no Quilombo Urbano de Xambá:
5h - Alvorada - Cerimônia com fogos e pequeno ritual com toques, cantos e dança para Yansã (no salão do terreiro)
11h30 - Plantio de uma gameleira sagrada para Yansã + lançamento e hasteamento da bandeira do Quilombo Urbano do Portão do Gelo da Nação Xambá com ritual para Yansã e participação da comunidade (em frente ao terreiro)
12h - Toque de louvação para Yansã
13h30 - Almoço para todos os presentes
16h - Lançamento do livro Povo Xambá Resiste - 80 anos da repressão aos terreiros em Pernambuco, escrito pela jornalista Marileide Alves
19h20 - Show de Bongar e Banda Estesia - concerto para Yansã, com cantos para o orixá (em frente ao terreiro)

https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2018/12/13/quilombo-urbano-d…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.