VOLTAR

Nota Oficial-Paranatinga Energia S/A

Só Notícias
26 de fev de 2008

A Paranatinga Energia S/A, responsável pela construção da Pequena Central Hidrelétrica Paranatinga II, no rio Culuene, no Estado do Mato Grosso, lamentando a atitude extremada de um pequeno grupo de índios, da etnia Ikpeng, do Parque Indígena do Xingu, que desde o último dia 20 de fevereiro tomou 14 cidadãos brasileiros como reféns, sendo 8 pesquisadores do Instituto Creatio, empresa de consultoria ambiental a serviço da Paranatinga Energia S/A, vem esclarecer o que segue:

1. Para a implantação da PCH Paranatinga II, atualmente em operação, foram cumpridas rigorosamente todas as exigências normativas do setor elétrico e da legislação do meio ambiente brasileira, estando a PCH autorizada a operar pela Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL- e devidamente licenciada pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente - SEMA

2. A PCH Paranatinga II não se encontra instalada em nenhum território indígena, tampouco afeta qualquer das áreas consideradas sagradas pelos índios, tal como já reconhecido pelo IPHAN, órgão federal responsável pela preservação do patrimônio cultural indígena.

3. A empresa Paranatinga Energia S/A, em razão de sua preocupação sócio-ambiental, continua investindo em diversos programas ambientais, dentre eles o reflorestamento e preservação da mata ciliar no entorno do reservatório, a realização de amplos estudos do patrimônio cultural e ambiental da região, além da adoção da mais avançada tecnologia para assegurar a migração e reprodução das espécies de peixes existentes no rio Culuene.

4. Ademais, com a entrada em operação da usina, 16 municípios do Vale do Araguaia deixarão de consumir 26 milhões de litros de óleo diesel das usinas térmicas, emissoras de 78 milhões de toneladas de CO2 (gás carbônico) na atmosfera, passando a ser atendidos pela energia limpa produzida pela PCH Paranatinga II, de forma ambientalmente adequada, sem causar poluição ao rio Culuene

A Paranatinga Energia S/A, ao tempo em que confia que o Ministério da Justiça e a FUNAI adotarão todas as medidas cabíveis para fazer cessar o cárcere privado a que estão submetidos cidadãos brasileiros neste lamentável episódio, reafirma a sua disposição de prosseguir cumprindo todas as exigências legais administrativas e ambientais feitas pelos órgãos competentes.

PARANATINGA ENERGIA S/A

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.