VOLTAR

Batalhão de Fronteira apreende contrabando de agrotóxicos em aldeia indígena

Rádio Cultura Foz https://www.radioculturafoz.com.br/
Autor: Dante Quadra
05 de abr de 2019

Na tarde de quinta-feira (04), por volta das 13h20, policiais militares do Batalhão Policia de Fronteira (BPFron) que realizavam patrulhamento nas estradas que demandam da região do Rio Piquiri, no município de Terra Roxa, no Paraná, avistaram dois veículos carregados de agrotóxicos contrabandeados do Paraguai, realizando a apreensão de um deles, após uma perseguição.
Esse veículo havia saído da região localizada a invasão de propriedade privada denominada Tekoha Nhemboate.

Após a apreensão, os policiais retornaram até a invasão a fim de localizar outros veículos. Nesta ocasião, foram hostilizados por indivíduos moradores da aldeia. Os auto intitulados índios cercaram a viatura e começaram a ameaçar os policiais, os quais tiveram sua viatura danificada por pedras e objetos lançados pelos indígenas.

Com isso, o grupo de policiais retraiu e solicitou apoio de tropa da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada, a qual atuou com rapidez em conjunto com o BPFron, a Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e Força Nacional de Segurança.

Após a chegada do reforço da tropa do Exército e das Forças de Segurança, os supostos indígenas se evadiram do local, onde foi realizado uma vistoria na região do porto clandestino que fica dentro desta invasão indígena, encontrando um grande volume de pneus, caixas de cigarros e agrotóxicos oriundos do Paraguai, os quais estavam escondidos para serem carregados posteriormente.

Essa resposta imediata demonstrou a elevada capacidade de reação e integração entre as Forças de Segurança Pública e o Exército Brasileiro nas operações realizadas na Faixa de Fronteira do Oeste do Paraná.

Assessoria

https://www.radioculturafoz.com.br/2019/04/05/batalhao-de-fronteira-apr…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.