VOLTAR

Verticalizacao aumenta risco de bairros ilegais

OESP, Cidades, p.C6
26 de mar de 2005

Verticalização aumenta risco de bairros ilegais
No entorno da Billings é possível ver casas de 5 pavimentos; Prefeitura defende intervenção 'dramática'
Em São Paulo, a ocupação do entorno dos mananciais está num estágio tão avançado que os bairros ilegais não são mais apenas amontoados de habitação precárias. Os bairros da Cachoeirinha e do Bororé, na zona sul da capital, são bons exemplos. Casas de até cinco andares vêm sendo construídas sem nenhum impedimento. "Há um processo grave de verticalização acontecendo nas favelas que margeiam a Represa Billings", afirmou o ambientalista Carlos Bocuhy, presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam).
Na região do Braço dos Apurás, também na zona sul, o assoreamento está abrindo rapidamente espaço para novas construções. Sobrevoando o local, é possível ver quatro campos de futebol, um ao lado do outro, onde antes ficava a represa. Nessa região o Proam já identificou a presença de cerca de 700 lojas clandestinas de material de construção.
Para tentar resgatar essas áreas, a Prefeitura de São Paulo pretende criar um programa nos moldes do SOS Mananciais, extinto nos anos 90. "É preciso uma operação dramática para mudar a situação. Queremos montar um projeto para agir com o Ministério Público e o governo estadual", afirmou o secretário da Coordenadoria das Subprefeituras, Walter Feldman.
A prioridade do novo programa é congelar o crescimento desses bairros. "Temos muitas áreas de risco, entre elas Parelheiros e M'Boi Mirim. Precisamos retomar com força essas ações, não importando o nome que o projeto receba", afirmou Feldman. "Até agora tivemos duas reuniões com o Ministério Público, as negociações seguem em clima de cooperação. Também vamos precisar do auxílio da polícia."
Outra possibilidade estudada pela administração paulistana é a abertura de unidades de apoio das subprefeituras nos bairros próximos aos mananciais. "Estamos fazendo reuniões para melhor elaborar um plano de trabalho", explicou Feldman.
Estiagem
As Secretarias do Meio Ambiente estadual e municipal também estão envolvidas nos estudos. "Pretendemos apresentar o plano de trabalho para o governador e para o prefeito em abril, logo depois da época das chuvas", afirmou Feldman.
É justamente na época de estiagem que o entorno dos mananciais mostra a sua importância. As áreas de várzea absorvem a água nos períodos de chuva. Com isso abastecem os lençóis subterrâneos, que no período de seca transferem a água retida para os reservatórios, garantindo o abastecimento.

Números
1,3 bilhão de m3 é a capacidade de armazenagem original da Represa Billings
286 milhões de m3 é quanto a represa perdeu de capacidade ao longo dos anos
1,5 milhão de pessoas vivem nas áreas de proteção no entorno da Billings
800 toneladas por dia de esgoto são jogadas na represa e nos lençóis freáticos da região

OESP, 26/03/2005, p. C6

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.