VOLTAR

Presidente da Funai receberá índios para encerrar bloqueio no Nortão

Só Notícias - http://www.sonoticias.com.br/
Autor: Alex Fama
18 de mar de 2011

O presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Márcio Augusto Freitas de Meira, se comprometeu em receber em audiência, na segunda-feira (28 e não mais dia 21 conforme previsto inicialmente), em Brasília, uma comissão dos índios Terena, que estão bloqueando a BR-163, próximo a Itaúba (90 km de Sinop), desde segunda-feira (14). A informação foi enviada, ontem, ao cacique Rondon em ofício assinado pelo governador Silval Barbosa. Neste momento, o tráfego continua interrompido, com longas filas de carretas, caminhões e veículos ao longo da principal rodovia que liga o Nortão a capital e sem previsão de ser liberada.

De acordo com a assessoria de imprensa do governo, Silval se prontificou a intermediar o encontro entre os índios Terena com a Funai para tratar do desbloqueio da BR-163, entre Itaúba e Sinop. A ação dos Terena foi feita para chamar a atenção da Funai em atender a reivindicação de criação de uma unidade de assistência em suas terras, que ficam entre Matupá e Peixoto de Azevedo.

Conforme Só Notícias informou, os índios voltaram a bloquear a rodovia ontem, por volta das 16h. No final da noite de quarta-feira, haviam suspendido o protesto esperando que suas reivindicações para a Funai - criar uma unidade de assistência em suas terras (entre Matupá e Peixoto) - fosse atendida.
O bloqueio, que iniciou na segunda-feira, com liberação da passagem por duas vezes, causa prejuízos para empresas e profissionais. A PRF orienta os motoristas para que façam uma rota alternativa passando por uma rodovia estadual a partir de Marcelândia com acesso a Claudia, chegando a Sinop e seguindo viagem pela 163. O "desvio" aumenta em 220 km o trajeto.

A PRF em Sinop tem prestado informações sobre o bloqueio pelo fone 3535-1013

http://www.sonoticias.com.br/noticias/7/122968/presidente-da-funai-rece…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.