VOLTAR

PM vai investigar morte de índios

O Estado de São Paulo
Autor: Kátia Brasil
23 de dez de 1993

O delegado do Grupamento de Polícia Militar de Eiruneté coordenará, com o chefe de posto da Funai Alexandre Caldeira, a investigação na aldeia Gaviãozinho, onde ocorreram conflitos entre índios Kulina e o comerciantes Manoel Campelo. A Funai divulgou lista com 11 mortos, entre eles três crianças. Mas o depoimento do índio Dsoidsé Kulina dado ao delegado só registra duas mortes. Segundo ele, o conflito começou com um desentendimento entre o índio Petrônio e sua mulher Kussi.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.