VOLTAR

Parque do Pico da Neblina comemora 30 anos e reinaugura sede

ICMBio - www.icmbio.gov.br
Autor: Priscila Galvão
03 de fev de 2010

Os 30 anos de criação do Parque Nacional (Parna) Pico da Neblina, o segundo maior do país, localizado próximo à fronteira do Brasil com a Venezuela, foram comemorados no final de janeiro.

A festa foi marcada pela inauguração das obras de reforma da sede, exposições fotográficas, discursos das autoridades, apresentações com músicas regionais e decoração com arte local. Tudo com a presença da comunidade.

O evento contou com a participação do presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Rômulo Mello, do diretor de Unidades de Conservação de Uso Sustentável e Populações Tradicionais (Diusp), Paulo Maier, da coordenadora da CR-2 de Manaus, Giovanna Palazzi, e da coordenadora substituta da CR2, Mônia Fernandes.

"Nosso desafio é saber como trabalhar com essa população tão carente de informação. Toda as propostas sugeridas até agora foram cumpridas. A promessa de apoio por parte dos parceiros foi realizada. Estamos aguardando o início do processo de elaboração do plano de manejo", afirmou José Guillerme, chefe do parque, conhecida pela comunidade como "Seu Chico".

Da programação também constaram reuniões com a diretora Silvana Canuto, do ICMBio, servidores do parque, comunidades indígenas, comerciantes e poder político local para discutir a reabertura da unidade, que abriga o Pico da Neblina.

Representaram os indígenas a Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN), Associação Yanomami do Rio Cauburis e Afluentes (AYRCA), Associação Indígena do Balaio (AINBAL), Associação das Comunidades Indígenas e Ribeirinhos (ACIR) e a Associação Indígena de Desenvolvimento Comunitário de Cucuí (AIDSS).

Juntos, os servidores do Parna e membros da Associação Indígena do Balaio visitaram a aldeia dos índios Yanomami para tratar de assuntos referentes à recuperação da BR 307, próxima ao Pico da Neblina, garantindo acesso às comunidades às áreas e aldeias. A equipe visitou ainda a Base de Matucará, pelotão de fronteira do Exército Brasileiro, situada no interior da Unidade, e sobrevoou parte da área do parque: BR 307, Morro dos Seis Lagos, Terra Indígena Balaio, Maia, Pico da Neblina e Comunidade Cartucho.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.