VOLTAR

Orgulhoso com a cartilha, indígena resolve aprender

O Estado de S. Paulo (São Paulo - SP)
14 de jan de 1973

A temática da alfabetização indígena foi presente entre as discussões feitas durante o I Encontro Nacional de Linguística, realizado pelo Mobral, no Rio de Janeiro. Uma das participantes do evento, Ruth Wallace, atua na área do Parque Nacional do Tumucumaque, onde vivem cerca de duzentos e cinquenta índios Tiriyó e que conta com uma missão de padres franciscanos realizando trabalhos de alfabetização indígena. A professora Gloria Kindle, do Summer Institute of Linguistics (SIL), também presente no Encontro, trabalhou durante quatro anos com os índios Kaingang, na qualidade de linguista. Entre os trabalhos desenvolvidos pelo SIL, está a elaboração de cartilhas para vinte línguas indígenas.

A Funai, junto ao Summer Institute of Linguistics e ao Instituto Nacional do Índio, está trabalhando num programa de educação indígena voltado à atuação dos próprios índios nesta e em outras áreas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.