VOLTAR

No AP, sete aldeias indígenas serão realocadas para obra da BR-156

G1 - http://g1.globo.com
Autor: John Pacheco
22 de jan de 2014

DNIT aprovou aditivo de R$ 20 mi para obras de realocação dos índios. 110 quilômetros de rodovia federal ainda precisam ser asfaltados.

Para concluir o processo de pavimentação da BR-156 trecho Norte, entre os municípios de Calçoene e Oiapoque, no Amapá, haverá a realocação de sete aldeias indígenas que ficam em áreas que serão afetadas pelas obras. Para isso, o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) aprovou um aditivo financeiro de R$ 20 milhões para a construção de casas, centros comunitários, escolas e postos de saúde, exigências dos indígenas decididas em um comitê gestor formado pela Associação de Caciques de Oiapoque, DNIT, Secretaria do Estado dos Transportes (Setrap) e Ministério Público Federal (MPF).

As sete aldeias são: Anuerá (com 90% de realocação concluída), Ahumã, Estrela, Kariá, Samaúma, Tukay e Ywawka. A realocação dos indígenas é o fator que impede a retomada das obras da BR-156, paralisadas em 2013 e com prazo para conclusão em 2016, conforme prevê Bruno Mineiro, secretário de Transportes. Ao menos 110 quilômetros ainda aguardam pavimentação na rodovia.

"A questão indígena está concluída, pois a liberação ambiental já foi feita pelo Ibama [Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis] e vamos lançar o edital de licitação em 40 dias para a empresa vencedora iniciar a construção da estrutura", explicou o secretário.

Ainda de acordo com Mineiro, o local para onde os indígenas serão levados também foi decidido pelo Comitê Gestor. Eles permanecerão próximos das antigas áreas, respeitando a margem de 40 metros da beira da rodovia. Com essas alterações, o projeto para a conclusão da BR-156 será readequado para ser retomado em agosto.

Os trechos restantes para asfaltamento correspondem a dois blocos de 55 quilômetros, cada, que partem de Calçoene, a 374 quilômetros de Macapá, até o Rio Cassiporé. O último trecho que segue até Oiapoque, distante 590 quilômetros da capital, já foi asfaltado. A realocação dos índios acontecerá a partir do momento em que o asfaltamento chegar até a área indígena.

http://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2014/01/no-ap-sete-aldeias-indigen…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.