VOLTAR

Mulheres indígenas: o elo entre tradição e sustentabilidade

Funai - http://www.funai.gov.br
05 de set de 2019

Em homenagem ao Dia Internacional das milhares de Mulheres Indígenas que promovem o desenvolvimento econômico e social de suas comunidades, a Funai apresenta uma séria de iniciativas voltadas para a geração de renda com sustentabilidade ambiental. As pessoas que fazem tantos projetos acontecer são produtoras rurais, artesãs, pescadoras e empreendedoras indígenas que se organizaram em associações e cooperativas por todo o País.

O extrativismo é a base para o protagonismo de 50 mulheres Xikrin na Terra Indígena Trincheira/Bacajá, estado do Pará. Por meio do projeto da Funai, as indígenas recebem auxílio para o escoamento da colheita de castanha e da produção do óleo de babaçu, além do acompanhamento de estratégias de governança promovidas nas aldeias.

O ecoturismo de base comunitária atende a cerca de 60 famílias na Terra Indígena Yanomami, que ocupa áreas dos estados de Roraima e do Amazonas. As indígenas se organizaram em duas associações que contaram com o apoio institucional da Coordenação-Geral de Etnodesenvolvimento (CGETNO) em 2019: a Associação Yanomami do Rio Cauaburis e Afluentes (AYRCA) e a Associação das Mulheres Yanomami (AMY Kumirayoma). Na comunidade de Maturacá, por exemplo, as mulheres participaram de treinamento sobre turismo e adequação da visita de turistas ao Pico da Neblina acompanhada por guias indígenas.

E tem indígena boa de piscicultura também. As integrantes da Associação das Mulheres Indígenas Trabalhadoras da Terra Grande (AMITTG) e da Associação do Povo Apurinã da Terra Indígena Itixi Mitari (APIATI) têm debatido sobre a pesca manejada do pirarucu e do peixe migrador. O projeto apoiado pela CGETNO atende a cerca de 150 famílias das etnias Apurinã e Dessana na Terra Indígena Itixi Mitari, estado do Amazonas.

Já a cerâmica indígena do Médio Purus tem conquistado o mercado do Brasil e do exterior. No extremo oeste do Amazonas, artesãs do Povo Apurinã agregaram valor à produção do artesanato tradicional ao investir na melhoria do acabamento das peças. O projeto, que também recebe apoio da CGETNO, atende 25 mulheres indígenas cuja produção é comercializada em feiras de negócios realizada na capital, Manaus.

Formação

A Coordenação-Geral de Promoção da Cidadania (CGPC/Funai) desenvolve e apoia ações que se relacionam aos processos educativos e à participação social das indígenas. O objetivo da atuação da CGPC é promover autonomia e a sustentabilidade respeitando os direitos, suas comunidades e organizações, bem como contribuindo para o combate à discriminação contra essas populações.

Dentre as atividades realizadas nas aldeias, a CGPC destaca quatro ações realizadas em 2019 no âmbito da formação com mulheres indígenas:

1. Oficina sobre direitos das mulheres e políticas públicas voltadas para as mulheres indígenas

Com atuação da Coordenação Regional Nordeste II foram realizados encontros para mulheres indígenas no Rio Grande do Norte. Elas debateram temas relacionados à história e organização do movimento indígena, histórico sobre a luta dos direitos das mulheres, políticas públicas vigentes e as conquistas alcançadas na Constituição Federal de 1988 e Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho.

2. Roda de conversa com mulheres indígenas Zoró Wanzej Pane

Em Rondônia, a Coordenação Regional de Ji-Paraná contribuiu com um encontro entre as mulheres da Terra Indígena Zoró. As indígenas abordaram o protagonismo feminino, os direitos sociais, os aspectos do acolhimento de saúde e atenção básica e hospitalar, e também saúde materno-infantil. No evento, elas conversaram também sobre resolução de conflitos nas comunidades, o que demonstra o importante papel de mediação exercidos por muitas mulheres indígenas em suas aldeias.

3. Oficinas de Artesanato em Miçanga com mulheres Guarani Mbyá

O conhecimento tradicional foi o tema principal das oficinas sobre artesanato realizadas no município de Itanhaém-SP, na Baixada Santista. Com apoio da Coordenação Regional Litoral Sudeste, as mulheres Guarani Mbyá contaram com a participação da líder Yawapa Kamayura, do Parque Indígena do Xingu. O fazer artesanal com as miçangas miçangas é uma atividade predominantemente feminina na cultura Guarani, o que demonstra o significado social da interação e diálogo entre as mulheres durante a confecção do artesanato tradicional.

4. Fortalecimento das organizações das mulheres Krahô e Xerente

Com atuação da Coordenação Regional Araguaia Tocantins, sediada em Palmas/TO, as mulheres da etnia Xerente e Krahô se reuniram nos meses de junho e julho para debater suas principais demandas em relação a sua organização e atividades produtivas. As reuniões constituíram lugar de fala onde as mulheres puderam apresentar suas necessidades, dificuldades, experiências e as possibilidades que elas vêm em relação ao fortalecimento dos grupos de mulheres indígenas e suas produções.

Apoio institucional

Nos últimos dois anos, a CGPC apoiou os seguintes eventos e projetos promovidos por mulheres indígenas (após cada evento, é citada a Coordenação Regional da Funai responsável pela atuação direta em cada iniciativa):

- 1ª Oficina de Cerâmica com as mulheres da região Iauaretê - CR Rio Negro;

- 5ª Assembleia da Associação Yamarikumã das Mulheres Xinguanas - CR Xingu;

- Apoio ao encontro da Articulação de Mulheres Indígenas do Maranhão (ANIMA) - CR Maranhão;

- Apoio às Artesãs Guarani e Kaiowá em Festivais do Mato Grosso do Sul - CR Ponta Porã;

- Assembleia da Associação das Mulheres Indígenas em Mutirão (AMIM) - CR Amapá e Norte do Pará;

- Assembleia das Mulheres Terena - CR Campo Grande;

- Assembleia do Movimento das Mulheres - CR Roraima;

- Assembleia extraordinária da Associação Yamuricumã no Parque Indígena do Xingu - CR Xingu;

- Assembleia Geral da União das Mulheres Indígenas da Amazônia Brasileira (UMIAB) - CR Roraima;

- Assembleia Mulheres Indígenas do RN - CR Nordeste II;

- Atividade da associação das Mulheres Indígenas em Mutirão (AMIM) - CR Amapá e Norte do Pará;

- Capacitação de mulheres Kaimbé e Kiriri na elaboração de projetos - CR Baixo São Francisco;

- Encontro das Mulheres - CR Minas Gerais e Espírito Santo;

- Encontro das mulheres indígenas da região do Baixo Cotingo - CR Roraima;

- Encontro das Mulheres Indígenas do Povo Manchineri - Alto Purus;

- Encontro das Mulheres dos Povos Apurinã e Jamamadi, Boca do Acre/AM - CR Alto Purus;

- Encontro das mulheres indígenas realizado pela Associação Takiná - CR Noroeste de Mato Grosso;

- Encontro das Mulheres na TI Areões - CR Ribeirão Cascalheira;

- Encontro das Mulheres Xavante da T.I. Marãiwatsédé - CR Ribeirão Cascalheira;

- Encontro de Mulheres - CR Maranhão;

- Encontro de Mulheres - CR Nordeste II;

- Encontro de Mulheres da Aldeia Milagrosa - CR Sul da Bahia;

- Encontro de Mulheres da Região Norte da AMIMA - CR Maranhão;

- Encontro de Mulheres Indígenas da TI Maraiwatsede - CR Ribeirão Cascalheira;

- Encontro de Mulheres Indígenas do Maranhão - CR Maranhão;

- Encontro de Mulheres Indígenas do Xingu - CR Xingu;

- Encontro de Mulheres Indígenas Huni Kuin - CR Juruá;

- Encontro de mulheres indígenas Kaingang e Encontro dos Kujá - CR Passo Fundo;

- Seminário de conscientização quanto à violência doméstica e o alcoolismo - CR Passo Fundo;

- Encontro Mulheres Indígenas Krabô - CR Araguaia Tocantins;

- Encontro Regional de Mulheres Waiãpi - CR Amapá e Norte do Pará;

- Encontro Juventude Indígena e Mulheres Indígenas (Rio Grande do Norte) - CR Nordeste II;

- Encontros de Mulheres Indígenas do Vale do Ribeira em São Paulo - Litoral Sudeste.

Assessoria de Comunicação Social

com informações da Coordenação-Geral de Etnodesenvolvimento (CGETNO)

e Coordenação-Geral de Promoção da Cidadania (CGPC)

http://www.funai.gov.br/index.php/comunicacao/noticias/5624-mulheres-in…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.