VOLTAR

MPF/MT: desbloqueio total da BR-163 depende de resposta do presidente da Funai

MPF - http://noticias.pgr.mpf.gov.br/
17 de mar de 2011

Estrada está interditada desde segunda-feira

Os índios da etnia Terena, que desde segunda-feira, 14 de março, mantém a BR-163, em Mato Grosso, bloqueada por uma manifestação, liberaram a passagem dos veículos e caminhões até as 16h desta quinta-feira, 16 de março. Mas a garantia para que a estrada continua liberada depende do presidente nacional da Funai, Márcio Moreira, aceitar receber representes dos índios para uma reunião em Brasília.

O pleito da comunidade indígena é a implantação de um posto da Funai dentro da Terra Indígena Terena na cidade de Peixoto de Azevedo. A proposta atual da Funai seria a implantação do posto em Guarantã do Norte para atender índios das etnias Terena e Panará.

A decisão de liberar temporariamente a passagem de carros e caminhões foi intermediada pela procuradora da República em Sinop, Analícia Ortega Hartz Trindade, que já havia solicitado, no dia 15 de março, a presença do representante nacional da Funai. A resposta da instituição foi que o coordenador regional da Funai em Colíder, Sebastião Martins, seria o representante. Não satisfeitos, os índios permaneceram com a manifestação.

A análise da procuradora Analícia é que, neste momento, o poder de apaziguar a manifestação e evitar conflitos na rodovia está nas mãos do presidente nacional da Funai. Segundo a procuradora, as lideranças indígenas se comprometeram a liberar totalmente a BR-163 se o presidente da Funai garantir que os receberá para tratar da reivindicação da implantação de um posto de coordenação da instituição em Peixoto de Azevedo.

http://noticias.pgr.mpf.gov.br/noticias/noticias-do-site/copy_of_indios…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.