VOLTAR

Maia quer poupar setor produtivo de pautas sobre demarcação

BR Político - https://brpolitico.com.br
30 de ago de 2019

No momento em que os holofotes do governo apontam para uma movimentação, tirando o foco das queimadas na Amazônia e indo na direção das demarcações de terras indígenas, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na tentativa de resguardar o setor produtivo nacional de novos impactos, indicou nesta sexta-feira, 30, que não dará prosseguimento a projetos que tratam de exploração em áreas indígenas que estão sendo discutidos na Casa. Parece que Maia, de fato, vestiu o terno de "embaixador" das questões relacionadas ao meio ambiente. Até agenda internacional para tratar do assunto ele terá em setembro.

E o assunto está fresco na Câmara. Nesta semana, a CCJ aprovou uma proposta que autoriza atividades agropecuárias e florestais em terras indígenas, a chamada PEC do Índio. "Projetos de mudança em área indígena isso tudo tem que ficar recolhido para que não atrapalhe mais ainda o setor produtivo brasileiro e a imagem do Brasil no exterior", afirmou.

Mas como as pautas relacionadas ao meio ambiente ainda estão em alta lá por Brasília, Maia afirmou que um conjunto de dois ou três projetos sobre questões ambientais deverá ser votado a partir da semana que vem "para dar uma sinalização" de que algo está sendo feito sobre o assunto. A escolha dos projetos foi definida em conjunto entre ambientalistas e ruralistas. "Por óbvio, se continuar desmatando, produtos vão ser boicotados no exterior", disse. O mais recente boicote que se tem notícia foi feito pela VR Corporation, que anunciou que decidiu não comprar mais o couro e o curtume do Brasil até que haja a segurança, e garantias de que os materiais usados nos produtos "não contribuam para o dano ambiental no País".

https://brpolitico.com.br/noticias/maia-quer-poupar-setor-produtivo-de-…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.