VOLTAR

Índios bloqueiam rodovia federal e produtores podem ter prejuízos

Olhar Direto - http://www.olhardireto.com.br/
Autor: Alexandre Alves
15 de mar de 2011

Aproximadamente 100 índios da etnia Terena estão bloqueando a BR-163, entre Sinop e Itaúba (600 km de Cuiabá), desde o começo da tarde dessa segunda-feira (14), cobrando a implantação de uma coordenação técnica em Matupá e demarcação de terras. O bloqueio causa filas nos dois sentidos e não há previsão para a liberação. O congestionamento causa prejuízo, principalmente para o escoamento da safra.

Os índios estão armados de arco e fechas, foices, facões, pintados para "guerra", e dizem que só vão liberar a rodovia federal após a visita de um representante da Fundação Nacional do Índio (Funai). A Polícia Rodoviária Federal (PRF) está orientando os motoristas a permanecerem em Itaúba e Nova Santa helena, pois ninguém está passando pelo bloqueio.

Para os motoristas que necessitam seguir viagem, a PRF orienta fazer um desvio pela rota Sinop-Cláudia-Marcelândia-Nova Santa Helena, o que aumenta a distância em 220 quilômetros - cerca de 180 km são de estrada de chão. O problema é que o atraso na viagem também causa prejuízo aos produtores rurais, com as perdas com o escoamento da safra.

No início da noite, o promotor de Justiça Washington Eduardo Berreri conseguiu negocias com os índios a liberação de passagens de ambulâncias.

Os Terenas são de uma aldeia de Matupá (710 km de Cuiabá) e reclamam que a distância para a unidade mais próxima, que fica em Colíder (110 km de Matupá), prejudica a comunidade indígena. Um dos indígenas informa que outras aldeias da região estão sendo convocadas a participar do movimento indígena.

http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?edt=25&id=164585

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.