VOLTAR

Ibama libera usina de Teles Pires para leilão na 6ª feira

OESP, Economia, p. B7
14 de dez de 2010

Ibama libera usina de Teles Pires para leilão na 6ª feira

Renato Andrade e Wellington Bahnemann

O governo conseguiu ontem a licença ambiental que garantirá o leilão da hidrelétrica de Teles Pires na sexta-feira. Além dessa usina, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) liberou a documentação de dois empreendimentos que serão leiloados no fim da semana.
A usina que será construída no rio Teles Pires, na divisa entre o Mato Grosso e Pará, terá capacidade de gerar 1.820 megawatts (MW) de energia elétrica, a partir de 2015, e será o destaque do leilão. O investimento previsto é de R$ 3,328 bilhões.
O presidente do Ibama, Abelardo Bayma, também assinou as licenças prévias para as hidrelétricas de Estreito e Cachoeira. Essas duas unidades serão construídas no rio Parnaíba, entre Piauí e o Maranhão, e juntas terão capacidade de produção de 119 MW de energia.
A Eletrobras terá forte participação nos consórcios que irão disputar as hidrelétricas esta semana. Em comunicado enviado ao mercado financeiro, o diretor Financeiro e de Relações com Investidores da estatal, Armando Casado de Araújo, confirmou a participação de subsidiárias da companhia na disputa por Teles Pires, Estreito e Cachoeira.
A estatal também montou consórcios para disputar as usinas de Sinop e Ribeiro Gonçalves, mas as licenças ambientais destes empreendimentos não foram emitidas até ontem, prazo final para a liberação destes documentos. Sem as licenças prévias, o governo fica impedido de colocar as usinas em leilão.
Segundo fontes do mercado, três consórcios devem disputar a hidrelétrica de Teles Pires. A CPFL Energia fechou um grupo com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), que contará ainda com a participação das construtoras Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa. Os outros dois terão a presença das subsidiárias da Eletrobras, limitadas a 49% de participação.
Furnas e Eletrosul disputarão a usina em parceria com a Neoenergia e a Odebrecht, enquanto a Chesf e a Eletronorte estarão juntas com a GDF-Suez, controladora da Tractebel.

OESP, 14/12/2010, Economia, p. B7

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20101214/not_imp653329,0.php

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.