VOLTAR

Gurupi: índios, negros e cultura sem fronteiras

O Liberal
Autor: Flávio dos Santos Gomes
20 de nov de 1997

O autor traça a história da região do Rio Guamá, no Pará, mais especificamente, da ocupação das matas do Gurupi e Turiaçu, dando ênfase ao aspecto da luta de resistência dos povos, nativos ou não, que por uma razão ou outra acabaram se instalando na região. Para isso, o autor se utiliza de dois marcos: a viagem realizada pelo explorador e engenheiro Henrique Jorge Huxley, iniciada no final de 1919, com o objetivo de pacificar os então temidos índios "Urubu", hoje chamados Ka'apor; e a expediação à região realizada por Darci Ribeiro e uma equipe de antropólogos nos anos de 1949, 50 e 51. Enfatiza o autor também a complexidade de se saber com exatidão o processo de ocupação da região, em razão da miscigenação alí ocorrida com vários grupos de escravos fugidos e quilombolas que entraram em contato com os índios da região desde muito cedo. Ao fim, referindo-se aos problemas atuais por que passam muitos índios e outros povos da região, notadamente os índios Tembé, critica o descaso das autoridades federais e louva a luta incessante desses povos.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.