VOLTAR

Governo assina concessão da usina de Teles Pires

Agência Estado - http://economia.estadao.com.br
Autor: Leonêncio Nossa
07 de jun de 2011

Foi assinado hoje no Palácio do Planalto o contrato de concessão da usina hidrelétrica do Rio Teles Pires, que será construída na divisa entre os Estados de Mato Grosso e Pará. O contrato foi assinado em cerimônia reservada no gabinete da presidente Dilma Rousseff pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e pelo diretor-presidente da Neoenergia, Marcelo Corrêa.

A Neoenergia liderou o consórcio Teles Pires Energia Eficiente, que venceu o leilão de concessão para a construção da usina, realizado em dezembro. O consórcio é formado por Neoenergia (50,1%), Furnas (24,5%), Eletrosul (24,5%) e Odebrecht (0,9%). A usina será construída no Rio Teles Pires, um afluente do Tapajós, entre os municípios de Paranaíta (MT) e Jacareacanga (PA).

Com previsão para começar a operar em janeiro de 2015, a usina produzirá 1.820 megawatts (MW). Em entrevista após a solenidade de assinatura do contrato, Lobão disse que no leilão de concessão foi definido o valor de R$ 58,30 por megawatt/hora (MWh). O preço teto era de R$ 87 por MWh. Segundo o ministro, esse valor é um dos mais baixos registrados nos leilões feitos pelo governo. Lobão afirmou que a usina seria, atualmente, suficiente para atender 8% de todas as residências brasileiras.

Segundo Lobão, a obra está orçada em R$ 3,3 bilhões e vai gerar 17 mil empregos diretos e indiretos. A previsão do consórcio que ganhou a concessão é que a licença ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) saia em até 90 dias. O reservatório que garantirá água para as turbinas alagará uma área de 150 quilômetros quadrados. Marcelo Correa, da Neo Energia, disse que a conclusão da obra pode ocorrer ainda no final de 2014.

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia+geral,governo-assina-c…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.