VOLTAR

Funai declara-se aberta a críticas

Folha de S.Paulo (São Paulo - SP)
30 de jul de 1978

O presidente da Funai, general Ismarth, acompanhado do sertanista Orlando Villas Boas, afirmou que a destruição ou não dos povos indígenas pelo decreto que prevê a emancipação indígena dependerá da atuação dos antropólogos. Ismarth conclamou todos os antropólogos, favoráveis ou contrários, incluindo Darcy Ribeiro, para debaterem e apresentarem sugestões na reunião que acontecerá em Brasília, nos dias 14 e 15 de agosto, que tem por objetivo realizar um exame da minuta do decreto. O presidente do órgão falou também sobre a situação do arrendamento das terras do povo Kadiwéu, criticado por Darcy Ribeiro.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.