VOLTAR

Em audiência publica Indígenas ameaçam projeto da Serabi Gold no Coringa em Novo Progresso

Jornal Folha do Progresso - http://www.folhadoprogresso.com.br
Autor: Adécio Piran
10 de fev de 2020

Indígenas da etnia Caiapo protestam contra a instalação da mineradora na região,o ato foi em audiência pública realizada pela SEMAS/PA em Novo Progresso.
A própria programação chamou atenção para o desvio do objetivo do que é, de fato, uma audiência pública.
Representados pelo Cacique BY os guerreiros adentraram ao espaço antes de começar audiência e com microfone em mãos, o cacique BY antecipou e relatou o descontentamento com a falta de convite para audiência publica, "esta terra é nossa nos que cedemos para Novo Progresso e Altamira",disse.

Ameaças
Após audiência , eles não satisfeitos com o que ouviram , deram um prazo de dois dias para resolverem com eles, ao contrario tomariam conta da área em obras.

Impasse
Os indígenas convocaram uma reunião na FUNAI,com representantes da empresa em Novo Progresso,lá foi decidido duas coisas: iriam visitar a área do Projeto Coringa; teriam uma reunião, prevista pra próxima quarta 12/2 na Associação Mantinó com a presença de um representante da Serabi, da FUNAI Novo Progresso e da FUNAI Brasília, ficou acordado,disse Serabi.

Audiência Publica
Com espaço para debates, o programa do primeiro dia da audiência incluiu uma palestra sobre a exploração do ouro subterrânea na região do Assentamento Terra Nossa no município de Altamira que abrange o acesso por Novo Progresso.

Leia mais:Protesto de Kaiapos marca início de audiência pública sobre funcionamento de mineradora em Novo Progresso

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (www.semas.pa.gov.br.) realizou no dia 06 de Fevereiro , com inicio às 9h, em Novo Progresso, Audiência Pública para a apresentação e discussão do Relatório de Impacto Ambiental seus potenciais, visando possibilitar a discussão e o debate sobre o RIMA, a fim de subsidiar a análise da SEMAS, para fins de licenciamento ambiental.

A Mineradora Serabi & Mineração CORINGA, com o projeto CHAPLEAU , a empresa aproveitou e fez uma apresentação , assim como uma exposição da empresa mineradora Serabi sobre pesquisa, exploração de minerais como instrumento de geração de emprego e renda na região. Populares questionaram o projeto sobre o impacto ambiental e viabilidade para a região.

Para Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), divulgou nota sobre audiência como positiva. Leia;
Semas/PA - Audiência pública debate projeto de mineração de ouro com a população em Novo Progresso

A população levantou questionamentos que serão avaliados pela Semas.

A participação popular nas decisões ambientais foi o principal objetivo da Audiência Pública organizada pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), no município de Novo Progresso, região Tapajós, nesta quinta-feira (6), para informar à comunidade os potenciais impactos socioambientais do projeto Coringa, de mineração de ouro, de responsabilidade da empresa Chapleau Exploração Mineral Ltda/Serabi Gold.

O secretário adjunto da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Rodolpho Zahluth Bastos (no centro), avaliou como positiva a audiência pública, que contou com boa representatividade regional e estadual.
"Foi um espaço de debate democrático, com a presença de vários representantes interessados em saber e conhecer mais o projeto, tirar dúvidas, realizar críticas e fazer sugestões. Acho que o objetivo foi alcançado. Agora, o trabalho, na verdade, é prosseguir com a análise técnica", definiu o secretário Rodolpho Zahluth Bastos.
Os questionamentos apresentados pela população serão avaliados pela Semas durante o processo de licenciamento.

Além da secretária, a mesa de autoridades da audiências foi formada pelo prefeito de Novo Progresso, Ubiraci Silva e pelo vereador do município Juarez Civiero, pelos representantes do Ministério Público, Salatiel Farias; das secretarias estaduais de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), secretário adjunto Carlos Ledo; de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), o titular Inocêncio Gasparim; o presidente da Serabi Gold, Ulisses Melo e o representante da Semas.

A audiência faz parte do processo de licenciamento, que caso ocorra, permitirá que o Projeto Coringa atue nos municípios de Altamira e Novo Progresso, sudoeste do Pará. O empreendimento, de acordo com o Relatório de Impacto Ambiental (Rima), vai lavrar o minério de ouro por meio de minas subterrâneas. Também será construída uma planta de beneficiamento, com capacidade de processar 167.900 toneladas por ano de minério que contém ouro e prata.
Um diagnóstico ambiental das condições físicas, bióticas, sociais, culturais e econômicas encontradas na região, que podem ser atingidas pelo empreendimento e a avaliação das potenciais alterações no ambiente durante as obras de construção, operação e desativação da atividade mineral foram demonstradas na audiência pública.Por Ronan Frias (SEMAS).

http://www.folhadoprogresso.com.br/em-audiencia-publica-indigenas-ameac…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.