VOLTAR

Clima "esquenta" entre índios e motoristas e PRF reforça segurança

Só Notícias - http://www.sonoticias.com.br/
18 de mar de 2011

A Polícia Rodoviária Federal enviou um reforço de mais 11 policiais do Núcleo de Operações Especiais (NOE), de Cuiabá, para evitar o conflito entre motoristas e índios que bloqueiam a BR-163 próximo a Itaúba (90 km de Sinop). A confirmação foi feita ao Só Notícias, agora há pouco. Eles seguiram em três viaturas e vão auxiliar os outros cinco policiais que já estão no local. O clima teria "esquentado" entre indígenas e motoristas, que estão parados no local, mas ameaçando forçar a passagem.

De acordo com PRF, as negociações para que o tráfego seja liberado, pelo menos por algumas horas, estão sendo feitas, mas sem sucesso. Um acordo teria sido firmado com os índios, por um representante da Fundação Nacional do Índio (Funai) para a entrega de um ofício que seria da presidência do órgão. No entanto, os índios estão irredutíveis.

Conforme Só Notícias já informou, os indígenas querem um centro de assistência (saúde, alimentação) em suas terras, localizadas entre Matupá e Peixoto de Azevedo. O núcleo mais próximo é em Colíder - cerca de 200 quilômetros de onde eles vivem.

O bloqueio tem causado prejuízos e transtornos para milhares de pessoas que precisam trafegar pela 163 - principal rodovia que liga Nortão a capital. O protesto iniciou na segunda-feira e, em dois dias, o tráfego foi liberado por algumas horas.

A PRF orienta os motoristas para que façam uma rota alternativa passando por uma rodovia estadual a partir de Marcelândia com acesso a Claudia, chegando a Sinop e seguindo viagem pela 163, aumentando o trajeto em 220 km.

http://www.sonoticias.com.br/noticias/7/123007/clima-esquenta-entre-ind…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.