VOLTAR

Bolsonaro: demarcação de terra indígena 'inviabiliza' exploração de commodities

Isto È - https://www.istoedinheiro.com.br
29 de jul de 2019

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira, 29, que a demarcação de terras indígenas está "inviabilizando o nosso negócio". "O Brasil vive de commodities, daqui a pouco o homem do campo vai perder a paciência e vai cuidar da vida dele. Vai vender a terra, aplicar aqui ou lá fora, e cuidar da vida dele. A gente vai viver do quê? O que nós temos aqui além de commodities?", questionou o presidente.

Bolsonaro falou sobre o assunto ao comentar a reunião que terá nesta segunda com o ministro de Negócios Estrangeiros da França, Jean-Yves Le Drian, no Palácio do Planalto. Segundo ele, o ministro francês "não vai querer falar grosso" sobre assuntos relacionados ao meio ambiente porque "vai ter que entender que mudou o governo do Brasil".

"Eu vou receber o premiê francês, se não me engano, para tratar de assuntos como meio ambiente. E ele não vai querer falar grosso comigo, ele vai ter que entender que mudou o governo do Brasil. Aquela subserviência que tínhamos no passado de outros chefes de estado para com o primeiro mundo não existe mais", afirmou. "Se fosse outro governo qualquer, quando estava em Osaka (Japão), no G-20, quando viesse para cá demarcaria mais 10, 15, 20 reservas indígenas. Está inviabilizando nosso negócio", reclamou o presidente.

Na mesma entrevista, Bolsonaro voltou a afirmar que pretende legalizar o garimpo no País, o que inclui a liberação da atividade em terras indígenas. Também questionou o fato de que as terras indígenas demarcadas no Brasil ficam em áreas "riquíssimas" e disse que Organizações Não Governamentais (ONGs) estrangeiras querem "ter para si a soberania da Amazônia".

https://www.istoedinheiro.com.br/bolsonaro-demarcacao-de-terra-indigena…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.