VOLTAR

Antropóloga acha inviável emancipar índio por decreto

Jornal do Brasil (Rio de Janeiro - RJ)
06 de mar de 1977

A antropóloga e professora da UnB, Alcida Rita Ramos, criticou o novo Estatuto do Índio, principalmente no que diz respeito à questão da emancipação indígena. Ela defendeu que não se pode emancipar um índio individualmente ou um povo indígena através de um simples decreto governamental, sendo necessários longos estudos antropológicos para definir se esse procedimento é cabível ou não em cada caso. Além disso, a antropóloga tratou bastante da desigualdade de condições existente entre povos indígenas e não-indígenas, o que é desconsiderado quando se fala em emancipação. Ela acredita que esse processo será prejudicial para os povos indígenas, suas terras e suas culturas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.