VOLTAR

Seringueiros e índios evitando o desmatamento

Jornal da Tarde (São Paulo - SP)
13 de jun de 1988

O desmatamento no Acre continua ocorrendo devido à ação de pecuaristas e madeireiros. O líder seringueiro Chico Mendes denuncia que, além da área supracitada, está surgindo um novo foco de desmatamento no seringal Equador. Acompanhados por Chico, os moradores de Xapuri (AC) praticam o "empate", técnica que consiste em impedir o desmatamento ao se colocar diante dos tratores e motosserras. O Conselho Nacional dos Seringueiros (CNS), aliado à União das Nações Indígenas (UNI), começa a adotar a estratégia da que ficou conhecida como a "criação de reservas extrativistas" para deter a ocupação predatória da Amazônia. Esse modelo de ocupação provocou a expulsão de muitas famílias que, em sua maioria, acabaram por se infiltrar clandestinamente nos seringais bolivianos.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.