VOLTAR

Rio entra na briga por estaleiro de Eike Batista

OESP, Negócios, p. B13
25 de jun de 2010

Rio entra na briga por estaleiro de Eike Batista
OSX, controlada pelo empresário, vem encontrando dificuldades com o licenciamento ambiental da obra em Santa Catarina

Glauber Gonçalves, Kelly Lima
Rio

As dificuldades na obtenção de licenças ambientais para a instalação de um estaleiro da OSX - empresa de construção naval do grupo EBX, de Eike Batista - em Santa Catarina podem fazer com que a empresa transfira o investimento de US$ 2 bilhões para o Rio.
O secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio, Júlio Bueno, afirmou que há possibilidade de mudança. Entretanto, o secretário do Planejamento de Santa Catarina, Vinícius Lummertz, informou que o grupo EBX teria manifestado ontem a intenção de manter o investimento no Estado.
Segundo Júlio Bueno, o governo do Rio foi procurado por Eike Batista há cerca de um mês. Ele informou que o projeto já foi apresentado à Secretaria do Meio Ambiente, que não teria visto grandes dificuldades no licenciamento. "O projeto foi mostrado à secretária, que afirmou que o projeto é licenciável", disse.
Ele afirmou que a Secretaria de Desenvolvimento mantém conversas com representantes da LLX, empresa de logística do grupo EBX e proprietária do Porto do Açu, possível destino do investimento. Procurado, o grupo EBX não quis se manifestar.
A dificuldade com o processo de licenciamento ambiental não é o único obstáculo que vem sendo enfrentado pela OSX. Na abertura de capital, em março, a empresa arrecadou menos de um terço do teto de R$ 9,9 bilhões previsto para a operação. Além disso, desde então, as ações da empresa caíram mais de 40%, de R$ 800 em 19 de março para R$ 476 anteontem.
Agilidade. Vinícius Lummertz, secretário do Planejamento de Santa Catarina, afirma que o Estado está trabalhando para acelerar o licenciamento ambiental. "Entendemos que o processo se dá nesse ritmo. Aqui não é diferente do Rio ou de outro lugar. As dificuldades com os órgãos federais, como Ibama e ICMBio, é a mesma em todo o País. Se fossem para outro lugar, teriam de começar tudo de novo", disse.
O secretário relatou que o diretor de Sustentabilidade da EBX, Paulo Monteiro, teria dito ontem que o grupo pretende manter o investimento em Santa Catarina. "A palavra de Monteiro foi na direção de compreender que o que vivemos aqui é o que se vive no Brasil quando se trata de licenciamento ambiental."
O processo de licenciamento ambiental, que começou em dezembro do ano passado, enfrenta dificuldades. A OSX ainda não obteve o aval do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para se instalar em Biguaçu. Uma das alegações é a de que o empreendimento prejudicaria uma colônia de golfinhos que vive isolada na região e que estaria encolhendo.
Sobre a possibilidade de outros Estados oferecerem incentivos à instalação do estaleiro, Lummertz diz que Santa Catarina não entrará na disputa. "Estamos lutando, mas não podemos é entrar num leilão reverso, porque a decisão de se instalar aqui já foi tomada. No entanto, é direito deles, como empreendedores, iniciar alternativas de conversa para se precaver caso o órgão federal em Santa Catarina se transforme num impedimento maior."

OESP, 25/06/2010, Negócios, p. B13

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100625/not_imp571750,0.php

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.