VOLTAR

Raiz sem terra

Revista IstoÉ (São Paulo - SP)
09 de nov de 1994

Próximo a cidade de Bom Jesus da Lapa (BA), numa área de 13 mil hectares, resiste a fazenda Rio das Rãs, reduto de negros habituados a figurar como personagens mudas da geografia dos latifúndios do país. Em Rio das Rãs, cerca de 300 famílias descendentes de escravos que se refugiaram na região, vivem como posseiras na caatinga e preservam costumes, hábitos e tradições de sua nação. Desde o ano passado, é cobrada a aplicação do artigo 68 das Disposições Transitórias da Constituição, que reconhece a propriedade das terras ocupadas por descendentes de escravos foragidos.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.