VOLTAR

R$ 5 milhões na proteção do meio ambiente no Amapá

Gazeta Mercantil
Autor: Valéria Serpa Leite
26 de mar de 2008

A rede varejista Wal-Mart vai investir R$ 5 milhões por cinco anos em um projeto de conservação da Floresta Nacional do Amapá (Flona). A parceria com a organização não-governamental Conservation International, anunciada ontem, tem o objetivo de tornar a unidade de conservação (uma área de 457,224 hectares, o equivalente a 423 campos de futebol, criada em 1989), ao longo desse período, em um modelo de gestão e uso sustentável dos recursos da Amazônia brasileira.

A idéia é apoiar pesquisas de mestrado e doutorado na unidade, desenvolver campanhas de educação ambiental nos município e promover projetos de desenvolvimento sustentável para as comunidades que vivem no entrono da Floresta.

Segundo a ONG e o Wal-Mart, a parceria vai beneficiar 30 mil pessoas com oportunidades de emprego, educação e negócios que surgirão associados ao projeto. A parceria vai ainda proteger 183 milhões de árvores, 7 milhões de aves e 160 mil macacos.

A ação amplia o programa de sustentabilidade que a varejista desenvolve desde 2006 em três nichos: construções e energia (com lojas, centros de distribuição, escritório e cadeia logísitica sustentáveis); resíduos (com reciclagem e embalagens sustentáveis) e produtos.

Uma das metas da empresa é reduzir até o final deste ano em 25% os resíduos produzidos pelas lojas do grupo no País e ter 100% dos produtos de marca própria com embalagens sustentáveis até o final do próximo ano.

A rede promete inaugurar até o final deste ano uma loja considerada ecoeficiente, reunindo mais de 30 itens considerados ecoeficientes em construção.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.