VOLTAR

Que será do Xingu sem os Villas Boas?

Movimento
07 de jun de 1976

Desde que os irmãos Villas Boas se aposentaram, o Parque Nacional do Xingu passou a ficar a cargo do antropólogo Olímpio Serra. A diretriz da Funai, para manter a boa imagem da política indigenista oficial, é a da preservação do parque. No entanto, em face a ameaça das frentes pioneiras, o novo administrador pretende preparar o índio para o considerado irreversível convívio com a sociedade envolvente.
Em entrevista, Orlando Villas Boas, diz considerar o Parque Nacional do Xingu uma proposta de solução ao problema do índio. Relata que quando da criação do Parque, os irmãos Villas Boas pegaram o índio em seu estado de cultura pura e que o maior desafio atual é lidar com a "segunda etapa": dos processos de invasão e do envolvimento com a sociedade envolvente. A esse segundo caso, Villas Boas fala do Parque do Xingu, da Ilha do Bananal, do Parque Aripuanã,do caso das terras Kadiwéu. Para o general Ismarth de Oliveira, presidente da Funai, o futuro do Xingu deve ser parecido ao do Aripuanã. A defesa feita é por uma política de integração do índio, para evitar que o impacto do contato seja tão violento para os indígenas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.