VOLTAR

Protesto no Recife pede fim do infanticídio em aldeias indígenas

JC On Line - jc.com.br
17 de jul de 2008

Pedindo a aprovação da Lei 1057/2007, também conhecida como Lei Muwaji, cerca de 250 pessoas ligadas a organizações não governamentais que trabalham com os direitos indígenas realizam, na tarde desta quinta-feira (17), um protesto silencioso na Praça da República, na área central do Recife, em frente ao Palácio do Campo das Princesas, sede do governo do Estado.

Com balões vermelhos, eles reivindicam o reconhecimento da lei, que pede o fim do infanticídio em aldeias indígenas. "Como vamos preservar os índios se as nossas crianças indígenas estão morrendo? Estamos lutando para a aprovação dessa lei porque acreditamos que a Constituição é para todos", afirma Nadilson Araújo, um dos organizadores da manifestação.

"Pelo menos 20 aldeias que nós pesquisamos têm essa prática (infanticídio). Uma crianca que nasce com alguma deficiência é sacrificada. Eles acreditam que atrai maus espíritos para a aldeia", explica Nadilson. Representantes do movimento estão reunidos com um assessor do Palácio. O protesto ocorre simultaneamente em dez capitais do País.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.