VOLTAR

Pesquisadores descobrem criação indígena milenar capaz de resolver problemas climáticos

JB https://www.jb.com.br
25 de jun de 2019

Pesquisadores concluíram que os antigos sistemas de abastecimento de água do Peru ainda são contemporâneos e avançados, relata site científico.

A Iniciativa Regional Andina de Monitoramento Hidrológico do Ecossistema Andino na América do Sul afirmou que, se restaurados, os antigos sistemas de abastecimento de água podem enfrentar secas modernas e fornecer água doce para população atual, de acordo com o site Phys.org.

Pesquisadores indicam que recursos hídricos, que se esgotam no início da estação seca, podem ser obtidos através de sistemas nas montanhas para drenagem de águas pluviais.

A antiga civilização peruana criou esses sistemas em 600 d.C. Um deles está localizado no distrito peruano de Huamantanga. Pesquisadores descobriram que a água levará em média 45 dias para passar pelo sistema.

Estas tecnologias são potencialmente capazes de aumentar a quantidade de água disponível durante a estação seca em 33% nos primeiros meses e em 7,5% nos meses seguintes.

De acordo com os cálculos, se você aumentar a escala dos sistemas de abastecimento de água de acordo com a população atual, será possível usar 99 milhões de metros cúbicos de água da chuva anualmente.

"Com o advento da ciência moderna, você seria perdoado por se perguntar como métodos antigos poderiam ser aplicados aos problemas atuais. No entanto, acontece que temos muito a aprender com as capacidades criativas de problemas dos nossos antepassados", afirma o autor que lidera a pesquisa doutro Boris Ochoa-Tocachi.

O líder da pesquisa ainda destaca que "por não podermos confiar totalmente em um método, devemos manter a mente aberta e criativa, mas nosso estudo mostra que temos muito a aprender com a forma como a população indígena do Peru gerenciou inteligentemente sua paisagem há 1400 anos".

https://www.jb.com.br/ciencia_e_tecnologia/2019/06/1006474-pesquisadore…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.