VOLTAR

OSX pede licença ambiental para estaleiro no Rio

O Globo, Economia, p. 31
30 de jun de 2010

OSX pede licença ambiental para estaleiro no Rio
Mas empresa de Eike mantém negociação de projeto em SC

Lucianne Carneiro

Diante das dificuldades para o licenciamento ambiental de um estaleiro em Biguaçu, Santa Catarina, a OSX, do empresário Eike Batista, divulgou ontem comunicado ao mercado informando que deu início ao processo de licenciamento para a instalação de um estaleiro no Complexo Industrial do Açu, no Rio. Mas a empresa não desistiu do projeto no Sul do país. Prova disso é que recorreu nos últimos dias ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, que tinha dado parecer contrário à instalação do estaleiro em Santa Catarina.

Na semana passada, o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio de Janeiro, Júlio Bueno, já tinha confirmado ao GLOBO a negociação do estaleiro no norte do estado, após ser antecipada pelo colunista Ancelmo Gois.

O comunicado da OSX estima que a instalação do estaleiro no Rio permitiria a geração de dez mil empregos na fase de operação e 3.500 na construção.

Segundo a Secretaria de Ambiente do Rio de Janeiro, a OSX pediu, em 17 de junho, instrução técnica para o estudo de impacto ambiental do estaleiro, a primeira fase do licenciamento.

A secretária de Ambiente do Rio, Marilene Ramos, explicou, como já foi feita a avaliação ambiental estratégica do complexo, o processo de licenciamento ambiental pode ser mais rápido e simples.

- O projeto é para um estaleiro de grande porte, com capacidade de construção de navios e sondas, como o Rio não tem - afirma a subsecretária de Desenvolvimento do Rio, Renata Cavalcanti, destacando que o investimento seria entre US$ 1,5 bilhão e US$ 1,7 bilhão.

O Globo, 30/06/2010, Economia, p. 31

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.