VOLTAR

Operação Mapinguari combate exploração no Xingu

IBAMA
16 de mai de 2007

Mapinguari é um ser que protege a floresta contra aqueles que lhe fazem mal. Conhecido dos povos amazônicos como um bicho parecido com o homem, mas de corpo coberto de pêlos e com apenas um olho no meio da testa, sua boca é tão grande que termina na barriga, tem pés virados e mãos em forma de garra. Mapinguari é também a operação deflagrada hoje de madrugada para combater a exploração ilegal de madeira dentro dos limites do parque indígena do Xingu, localizado na porção nordeste do estado de Mato Grosso.

Planejada e coordenada pela Diretoria de Proteção Ambiental do Ibama por meio de sua fiscalização, e contando com o apoio da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, a operação vem mapeando há dez meses as áreas e identificando os beneficiários do esquema ilegal. Dentre os envolvidos estão madeireiros, servidores públicos e, pela primeira vez em uma operação do Ibama, foram decretadas as prisões de três lideranças indígenas que faziam parte da exploração ilegal. Mais de 15 empresas envolvidas tiveram seu fechamento decretado e foram lacradas.

Equipes do IBAMA visitaram os pátios das madeireiras que recebiam a madeira ilegal, identificaram os planos de manejo que serviam para "esquentar" a madeira recebida pelos fraudadores e os locais da exploração ilegal dentro da área indígena. Participaram da operação 37 servidores do Ibama e duas aeronaves para mapeamento, contando ainda com a presença de mais de 60 policiais federais que realizaram os mandados de prisão dos envolvidos e a apreensão de equipamentos.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.