VOLTAR

ONG tem plano de 'patrocinio' para arvores

FSP, Cotidiano, p.C8
05 de jun de 2004

ONG tem plano de "patrocínio" para árvores
DA REPORTAGEM LOCAL Os ambientalistas estimam que cada pessoa, ao longo da vida, é responsável pela derrubada de 308 árvores, devido a seus hábitos de consumo. Para tentar compensar a natureza por isso, será possível, a partir de terça-feira, patrocinar o reflorestamento de trechos degradados de mata atlântica e ajudar a proteger áreas de produção de água em São Paulo, Paraná, Espírito Santo e Minas Gerais.Tudo isso a R$ 10 por muda.Com o programa Florestas do Futuro, a Fundação SOS Mata Atlântica quer, até o fim de 2005, plantar 4 milhões de árvores nativas nas margens de rios de cinco bacias hidrográficas no Sul e Sudeste, reflorestando cerca de 23,5 km2, quase 15 parques Ibirapuera.Empresas e pessoas físicas ajudam a bancar essa tarefa. Os empresários têm a opção de pagar por lotes de 15 mil ou 30 mil árvores. A entrada no projeto implica um contrato com a SOS que inclui palestras para funcionários, créditos no site da ONG, um selo, a identificação do "padrinho" nas áreas plantadas, entre outros.Já o cidadão comum pode ir ao www.florestasdofuturo.org.br -que entra no ar na terça-feira-, preencher um questionário que dirá, a partir do seu estilo de vida, qual o seu débito com o ambiente e pagar por pelo menos três árvores, cujo plantio e desenvolvimento será auditado pela Price Waterhouse e poderá ser acompanhado via internet.Elas serão plantadas em áreas particulares do atlas de remanescentes de mata atlântica. Dos 7% que restaram dela, 80% estão em terrenos privados, cujos donos, via de regra, não respeitam a lei de preservar as árvores que ficam de 30 a 100 m dos cursos d'água.

FSP, 05/06/2004, p. C8

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.