VOLTAR

Médicos são acusados pelos índios

O Liberal - Belém - PA
Autor: Edivaldo Mendes
12 de jun de 2000

A reportagem trata das controvérsias em torno da morte do menino Simon, de 12 anos, da etnia Tembé, habitante da reserva indígena do Alto Rio Guamá. A morte de Simon, decorrente de uma enfermidade que atingiu vários índios Tembé, e da qual não se sabe ainda a causa, é apontada pelos índios como tendo sido causada por negligência médica. Eles acusam o médico Moisés Ribeiro e a médica Cristiane Alves Leite de Freitas; o primeiro, por ter abandonado a criança à própria sorte depois de mandá-la fazer alguns exames, sem ao menos interpretá-los; a segunda, por ter sido autoritária e ter retido o garoto na Unidade. Outro agravante, verificado pela comitiva que foi até a aldeia, é o total desentrosamento entre a Fundação Nacional de Saúde, responsável pela saúde dos índios, e a Secretaria de Saúde de Ourém, município mais próximo aos índios da região, onde geralmente são atendidos. A reportagem ainda discorre sobre as eventuais causas do surto da doença entre os índios, como a provável contaminação da água, e a postura dos orgãos responsávei frente ao caso.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.