VOLTAR

Índios fazem 12 reféns no Parque do Xingu, em MT

OESP, Nacional, p. A9
22 de fev de 2008

Índios fazem 12 reféns no Parque do Xingu, em MT

Nelson Francisco

Índios do Parque Nacional do Xingu mantêm reféns desde ontem oito pesquisadores da empresa Paranatinga Energia e quatro funcionários da Fundação Nacional do Índio (Funai). Eles não querem o funcionamento de uma usina hidrelétrica construída no local. O impasse se arrasta desde 2004.

Para negociar a libertação dos reféns, eles cobram a presença de uma equipe da Funai e do governo do Estado. O chefe do Posto Indígena do Parque, Kumare Txicão, disse que os reféns passam bem, mas são vigiados por "índios guerreiros, prontos para o combate".

O superintendente de Assuntos Indígenas da Casa Civil de Mato Grosso, Rômulo Vandoni, informou que vai acompanhar as negociações para libertação dos reféns. O Ministério Público Federal é contrário ao acordo feito por parte das lideranças do Xingu para uso de 1.290 hectares para construção da usina, no Rio Culuene - um dos mais importantes afluentes do Xingu e a principal fonte de alimentos das aldeias. O cacique Aritana Yawalapiti, um dos líderes mais respeitados no parque, foi um dos incentivadores do acordo.

Em Cuiabá, Aritana negou o envolvimento de índios de sua etnia no seqüestro. No Parque, existem 14 povos diferentes e uma população estimada em 5,5 mil índios numa área de 27 mil quilômetros quadrados.

OESP, 22/02/2008, Nacional, p. A9

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.