VOLTAR

Índios de Belo Monte irão a Brasília para negociação

OESP, Economia, p. B5
01 de jun de 2013

Índios de Belo Monte irão a Brasília para negociação

Fátima Lessa , especial para O ESTADO CUIABÁ

Os índios que ocupam o canteiro de obras da usina de Belo Monte desde a madrugada de segunda-feira aceitaram ir a Brasília e negociar com o governo na terça-feira, dia 4. Apesar da decisão, eles permanecem em estado de protesto.
"Vamos permanecer no local até o horário da viagem. Saímos daqui no dia 3 para reunião na terça-feira, dia 4", disse o líder Valdenir Munduruku.
Valdenir observou que a suspensão da ocupação no dia 3 não significa a saída definitiva: "Ela vai depender do resultado da reunião no dia 4". Os índios saíram do canteiro de obras, mas permanecem no escritório central.
A decisão dos índios foi tomada depois de uma reunião que começou por volta das 16 horas da quinta-feira. O representante do governo, o coordenador-geral de Movimentos do Campo e Território, Nilton Turbino, foi o intermediário da reunião.
Inicialmente, ele queria que apenas um grupo de representantes fosse a Brasília. Os índios não aceitaram. A reunião foi suspensa porque os índios exigiam que todos os ocupantes do canteiro fossem levados a Brasília. A resposta chegou ao início da noite, após 19h. As despesas com a viagem serão custeadas pelo governo federal.
Os índios exigem suspensão dos estudos e das obras nos Rios Xingu, Tapajós e Teles Pires e que seja realizada a consulta prévia, prevista na Constituição e na Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Valdenir Mundurucu disse que nova pauta será preparada para a negociação com o governo no dia 3. "Além dos pontos já falados, nós vamos exigir, dentre outros, as demarcações pendentes."

OESP, 01/06/2013, Economia, p. B5

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,indios-de-belo-monte-irao-a…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.