VOLTAR

Indígenas de países da Amazônia apresentam carta contrária a Belo Monte

Amazonia.org.br - http://www.amazonia.org.br/noticias/noticia.cfm?id=335611
24 de nov de 2009

Durante o VIII Congresso da Coordinadora de las Organizaciones Indígenas de la Cuenca Amazônica (Coica) que aconteceu no Peru, do dia 20 a 23 deste mês, organizações e movimentos indígenas elaboraram uma carta em defesa dos direitos humanos, que segundo eles, serão desrespeitados com a concretização do projeto hidrelétrico de Belo Monte, no Pará. A rede é formada por povos indígenas de Brasil, Equador, Peru, Bolívia, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa

N carta, os movimentos reforçam o posicionamento dos povos do Xingu e da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), também contrários ao projeto, e pedem que países membros da Organização dos Estados Americanos (OEA) se manifestem em favor dos direitos dos povos indígenas afetados pela usina.

A construção da terceira maior hidroelétrica do Brasil vai "afetar diretamente as questões culturais, sociais e ambientais dos povos indígenas da região da Bacia do Rio Xingu, como Kaiapó, Xavante, Juruna, Kaiaby, Suiá, Kamaiurá, Kuikuro, Ikpeng, Panará, Nafukua, Tapayuna, Yawalapiti, Waurá, Mehinaku e Trumai", segundo a carta

Os índios também alertam para o crescimento da devastação de florestas em terras indígenas, o aumento da probabilidade de doenças nas comunidades nativas da região e a alteração da dinâmica dos costumes tradicionais, como por exemplo, "a diminuição da disponibilidade de recursos alimentares dessas comunidades que dependem da caça, da pesca e da coleta de frutos nativos para sua dieta básica".

A ausência de consulta e consentimento livre, prévio e informado da população indígena também foi destacada como um dos problemas, já que desrespeita o art. 231 da Constituição Federal de 1988, a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Declaração das Nações Unidas para os Direitos dos Povos Indígenas. Segundo a carta, essa falta torna ilegítimo o processo de licenciamento e a aprovação do empreendimento.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.