VOLTAR

Indígena acusado de contratar duas pessoas para assassinar advogado vai a juri em Rondônia

Portal Amazônico - http://www.portalamazonia.com
13 de ago de 2013

Advogado conseguiu espacar; envolvidos foram detidos e confessaram tentativa de homicídio

Um júri popular vai analisar três acusados de tentativa de homicídio qualificado, nesta quarta-feira (14), na cidade de Ji-Paraná, em Rondônia. Os réus são um indígena, um auxiliar de serviços gerais e um pedreiro acusados pelo Ministério Público Federal (MPF) de tentativa de homicídio. Segundo o MPF, o indígena contratou as duas pessoas para assassinar um advogado em Cacoal, que na época trabalhava para particulares contra outros indígenas.

Segundo o MPF, em 16 de março de 2007, o auxiliar de serviços gerais e o pedreiro foram ao escritório do advogado e tentaram matá-lo. A vítima reagiu e conseguiu gritar por socorro, alertando sua esposa, que ligou para a polícia. Os dois acusados fugiram do local, foram detidos horas depois e confessaram a tentativa de homicídio.

A acusação será feita pelos procuradores da república José Rubens Plates, Guilherme Rocha Göpfert e Fabrício Carrer. No dia seguinte, eles também vão atuar na acusação de outro caso que vai a juri popular em Ji-Paraná: um garimpeiro que tentou matar um funcionário da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Na denúncia do MPF, consta que no dia 27 de setembro de 2003 o garimpeiro foi flagrado por servidores da Funai perto de uma reserva indígena. Ele portava um revólver sem autorização e de forma irregular. A arma foi recolhida pelos servidores que receberam ameaça de morte do garimpeiro. No mesmo dia, na entrada da reserva indígena, o garimpeiro retornou e deu um tiro de espingarda pelas costas de um dos servidores da Funai, segundo o MPF.

http://www.portalamazonia.com/noticias/atualidades/20130813/indigena-ac…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.