VOLTAR

Hidrelétrica, uma nova ameaça para os waimiri-atroari

O Estado de São Paulo
21 de jan de 1979

Técnicos da Eletrobras, antropólogos, sertanistas e a Funai discutem o destino dos Waimiri-Atroari, que vivem ao longo da rodovia BR-174, após a construção da hidrelétrica de Balbina, no rio Uatumã. Para a Eletrobras a barragem não ameaça a existencia dos indígenas, embora estudos indiquem que o lago artificial inundará grande parte da reserva. A Eletronorte, subsidiária da Eletrobras, já iniciou as obras da barragem.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.