VOLTAR

Floresta de altitude está ameaçada

O Globo, Ciência, p. 30
10 de fev de 2004

Floresta de altitude está ameaçada

Kuala Lumpur.

Florestas tropicais de altitude de América Latina, África e Ásia, que abrigam diversas espécies exclusivas, nunca estiveram tão ameaçadas. O desaparecimento das chamadas florestas das nuvens pode reduzir significativamente a oferta de água potável em nações em desenvolvimento, alertaram ontem especialistas reunidos na VII Conferência Mundial sobre Diversidade Biológica, em Kuala Lumpur, na Malásia. O alerta foi divulgado pela ONU, organizadora do evento.

- O informe nos dá, pela primeira vez, um mapa da distribuição de florestas úmidas de altitude, uma visão regional das ameaças e uma agenda das ações prioritárias a serem adotadas para evitar sua destruição - afirmou Mark Collins, do Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas.

Segundo o relatório, as florestas úmidas de altitude da América Latina, Ásia e África representam menos de 2,5% das matas tropicais existentes e, em conjunto, ocupam 400 mil quilômetros quadrados.

Em geral, essas florestas são encontradas entre 2.000 metros e 3.000 metros de altitude, embora em alguns países a formação vegetal característica dessas matas ocorra até mesmo acima dos 500 metros.

- Uma descoberta importante é que elas são mais raras do que se imaginava e ocupam uma área 20% menor do que o estimado - afirmou Collins.

A maior parte das matas de altitude está na Ásia

A maior parte das florestas úmidas de altitude (60%) se encontra na Ásia, segundo o informe, e não na América Latina, como muitos especialistas acreditavam. Apenas 25% dessas matas estão no continente latino-americano e 15% na África. Estas florestas, destaca o estudo, são de vital importância para dezenas de milhões de pessoas porque representam sua principal fonte de água doce.

- Em geral, são as comunidades mais pobres que dependem diretamente dos recursos dessas florestas - afirmou Achim Steiner, diretor-geral da União Mundial para a Conservação. - Destruí-las significa privar essas populações de seu sustento essencial.

O avanço das cidades, a derrubada ilegal de árvores e incêndios criminosos são as maiores ameaças às florestas, segundo o estudo. O aquecimento global é outra ameaça a essas matas e deverá levar algumas à extinção.

O Globo, 10/02/2004, Ciência, p.30

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.