VOLTAR

Ex-procurador da Funai explica acordo

Folha de São Paulo
06 de mar de 1985

O ex-procurador-geral da Funai, Irineu de Oliveira, disse que não houve qualquer tipo de renúncia aos direitos dos índios no acordo que o orgão estabeleceu, no início de fevereiro, com as empresas da gleba Cidapar. O acordo envolve a desistência, por parte da Funai, de cinco ações que movia contra o grupo empresarial, relativamente a cinco áreas da reserva do Alto Rio Guamá (PA), onde vivem os índios Tembé. Segundo o ex-procurador, após exame, verificou-se que três dessas cinco áreas não eram habitadas pelos índios, e que, por isso, a Funai teria renunciado a elas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.