VOLTAR

Empresas vão investir R$ 27 bi em usinas

FSP, Mercado, p. B7
29 de set de 2010

Empresas vão investir R$ 27 bi em usinas
Grandes consumidoras de energia, como a Vale, têm que fazer aporte para sustentar plano de expansão, diz estudo
Autoprodutores precisam que energia seja fornecida a um "custo compatível", diz presidente da Abiape

Pedro Soares
Do Rio

Grandes consumidores e autoprodutores de energia, como Vale, CSN, Gerdau, Votorantim, Alcoa e Camargo Corrêa, vão investir, juntos, R$ 27,3 bilhões na construção de usinas até 2020.
O aporte é necessário para fazer frente ao avanço estimado de 66% no consumo das indústrias eletrointensivas -em que a energia representa de 30% a 35% do custo final dos itens fabricados ou extraídos por mineradoras e siderúrgicas, por exemplo.
Essas companhias têm de construir usinas com capacidade total de geração de 6.033 MW -potência pouco inferior à das duas hidrelétricas do rio Madeira (Santo Antonio e Jirau)- para suportar seus planos de expansão.
Os dados estão em pesquisa inédita da Abiape (Associação Brasileira dos Investidores em Autoprodução de Energia) obtida pela Folha.

COMPETITIVAS
Para se manterem competitivas e com custos sob controle, as empresas têm de produzir, ao menos, 65% da energia que consomem, aponta o estudo. Hoje, a autoprodução corresponde a 50% da demanda por energia dessas companhias.
Segundo Mario Menel, presidente da Abiape, só com o volume de investimentos previsto no estudo elas vão alcançar a meta e conseguir se manter competitivas no cenário global.
O executivo diz que as empresas não sofrem restrição de capital para investir. Isso porque deixaram de alocar recursos na área de energia desde 2003 em razão da carência de projetos de novas usinas e da imposição de regras que dificultaram a participação de autoprodutores nos leilões do governo.
Menel avalia, porém, que a situação "virou" a partir do leilão de Belo Monte, neste ano, quando foi estabelecida a meta de 10% de participação de autoprodutores nos consórcios que disputaram a concessão da usina.
"Achamos que essa premissa vai ser mantida, e os autoprodutores vão ter uma fatia assegurada nos grandes projetos de geração de energia que serão licitados no rio Tapajós [cinco usinas, com potência de 10.600 MW]."
Segundo Menel, os autoprodutores se beneficiam do atual ciclo favorável de preço das commodities (como aço e minério), mas precisam ter a garantia de fornecimento de energia a um "custo compatível" para planejar investimentos no aumento de produção no longo prazo.

Autoprodutores de energia

O que são?
Indústrias com muito gasto de energia que investem na geração para o próprio consumo

Quem são?
- Alcoa
- ArcelorMittal
- Camargo Corrêa
- Gerdau
- MPX
- Samarco Mineração
- Vale
- Votorantim

Usinas
31 hidrelétricas
9 termelétricas
9 pequenas hidrelétricas

FSP, 29/09/2010, Mercado, p. B7

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/me2909201018.htm

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.