VOLTAR

Em defesa da Amazônia

CB, Brasil, p. 14
17 de out de 2007

Em defesa da Amazônia

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou ontem, em Cruzeiro do Sul, no Acre, que o Exército poderá colaborar no combate ao desmatamento na Amazônia caso os órgãos responsáveis pelo setor solicitem esse auxílio. Jobim disse que, por causa da informação de que o desmatamento na região voltou a crescer, "certamente" aparecerão grupos e organizações questionando o trabalho do governo na Amazônia.
O ministro declarou, porém, que esse é um assunto que só diz respeito ao Brasil: "Qualquer motivação é elemento para esse tipo de discurso (dos grupos ambientalistas). Nós precisamos desprezar esse tipo de discurso e estamos trabalhando nesse sentido. Volto a repetir que a Amazônia é um assunto nosso. Somos responsáveis por isso.
Não destruímos nenhuma mata além das que já foram destruídas pelos próprios europeus e americanos".
Ontem, o jornal inglês The Guardian publicou longa reportagem destacando o aumento das queimadas na Região Amazônica. Segundo o ministro da Defesa, as Forças Armadas, os pelotões de fronteira e os batalhões de infantaria de selva estão dispostos a prestar toda assessoria ao Ministério do Meio Ambiente em um trabalho conjunto para reduzir e manter o grau de redução do desmatamento. "Isso depende de solicitação, porque o Exército não tem, diretamente, competência para isso. Nós estamos absolutamente dispostos a prestar todo o apoio necessário para otimizar os trabalhos dessas equipes. Podemos dar toda a logística e toda a estrutura de apoio", garantiu.

CB, 17/10/2007, Brasil, p. 14

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.