VOLTAR

Delcídio e Zeca defendem indenização a produtores e demarcação indígena

Midiamax - http://www.midiamax.com/view.php?mat_id=574225
Autor: Jacqueline Lopes
23 de nov de 2009

O PT de Mato Grosso do Sul pela primeira vez se posicionou sobre os conflitos indígenas espalhados pelo Estado e hoje, o senador Delcídio do Amaral junto com o ex-governador Zeca do PT defenderam a devolução de terras aos índios e pagamento como forma de indenização aos produtores.

Nesta manhã, junto com outras lideranças do partido e do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), Zeca e Delcídio conversaram com Lúdio Coelho que defendeu um diálogo entre os setores para que não haja confronto.

Durante o anuncio do PED (Processo de Eleição Direta) do PT, no diretório regional da sigla, no Jardim São Bento, Zeca lembrou que em seu Governo freou as ocupações de sem-terra e defendeu o diálogo e a celeridade para que ocorram as mudanças na legislação que faça a União ressarcir os ruralistas no caso da disputa com os índios.

"A primeira atitude é a despartidarização do assunto. Solução exige a participação de todo mundo. Não pode insuflar e colocar inocentes no meio". "Estão atribuindo ao Lula e ao PT um problema que começou lá atrás. Temos que achar uma resposta como alternativa como a indenização. É possível. Podemos intermediar uma saída sem arrogância".

O senador Delcídio do Amaral acrescentou que a decisão da Raposa Serra do Sol, em Roraima, já indica uma definição para Mato Grosso do Sul. "Já estive reunido várias vezes com o ministro Tarso Genro e há um interesse de criar uma forma para a indenização sem mexer com o artigo 231 da Constituição e sem criar PEC", disse o senador.

"O governo defende o pagamento da terra nua e uma área compatível com o que as etnias. É um problema federal que o governo está imbuído para resolvê-lo", acrescenta Delcídio do Amaral.

O governador André Puccinelli (PMDB) através de informes publicitários afirma que está debruçado em chegar a uma solução para o problema. Na cidade de Paranhos, o professor guarani caiuá Genivaldo Verá foi encontrado morto e o primo, Rolindo Verá está desaparecido. Eles se envolveram em confronto com seguranças particulares no dia 2 de novembro. A Anistia Internacional cobrou explicações do Brasil sobre o impasse dentro de um país com 8 milhões 511 mil e 965 quilômetros quadrados.

O Ministério da Justiça disse que a Polícia Federal estava empenhada em elucidar o caso e o governo estadual colocou todas as polícias à disposição. Mas, na área não há bombeiros, nem polícia e nem o Exército, que também ajudaria a procurar por Rolindo Verá.

Na região de Sidrolândia, índios terena foram retirados da Fazenda Querência São José, de Renato Bacho, por policiais militares na última semana. Já em Miranda, a fazenda de Pedro Pedrossian continua com indígenas.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.