VOLTAR

Comunidades remanescentes de quilombos do PETAR foram reconhecidas pelo Itesp

Sistema Ambiental Paulista - http://www.ambiente.sp.gov.br/
Autor: Rose Ferreira
17 de nov de 2014

O secretário de Estado do Meio Ambiente, Rubens Rizek, participou no domingo, 16, pela manhã, da cerimônia de assinatura, com a Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo - Itesp, de reconhecimento de quatro comunidades remanescentes de quilombos: Engenho e Abobral Margem Esquerda, ambas em Eldorado; Aldeia, em Iguape, e Bombas, em Iporanga.

A Comunidade de Bombas, conta com 16 famílias e está situada no Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira - PETAR (administrado pela secretaria de Estado do Meio Ambiente - SMA), e vivem harmoniosamente em uma área de 2.512 hectares, com as belezas naturais da região.

Segundo Rizek, o reconhecimento do Quilombo de Bombas, é resultado de um grande empenho conjunto entre a SMA, a Fundação Florestal, a Procuradoria Geral do Estado - PGE e a Fundação Itesp.

Ao todo são 86 famílias que vivem nessas comunidades e têm como subsistência a roça, onde cultivam arroz, feijão, milho, abóbora, pepino, mandioca, e demais produtos.

O evento de assinatura de reconhecimentos dos quilombos ocorreu durante a 9ª Feira Paulista de Assentamentos e Quilombos - Fepaq, realizada pela secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, por meio da Fundação Itesp, e contou com os apoios das secretarias do Meio Ambiente, da Cultura e da Coordenação de Políticas para a População Negra e Indígena. Segundo os organizadores, o Feira reuniu cerca de 90 produtores rurais, e faz parte da programação oficial da secretaria da Justiça e do governo de São Paulo, nas comemorações ao Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado no último dia 20/11.

http://www.ambiente.sp.gov.br/blog/2014/11/17/comunidades-remanescentes…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.