VOLTAR

Comunidade quilombola de Minas ganha reconhecimento oficial

Hoje em dia https://www.hojeemdia.com.br/
17 de mai de 2019

Mais uma comunidade mineira foi inserida na relação de comunidades quilombolas do Brasil. O reconhecimento da comunidade da Fazenda Itaipava, em Açucena, no Vale do Aço, foi entregue durante uma solenidade na última terça-feira (14).

Com o reconhecimento expedido pela Fundação Cultural Palmares, as cerca de 80 famílias que vivem na comunidade terão acesso a políticas públicas específicas voltadas para os povos tradicionais. Entre os direitos recém-adquiridos estão o acesso à terra, infraestrutura e qualidade de vida, inclusão produtiva e desenvolvimento local e direitos e cidadania. Até agora, Minas conta com 392 comunidades quilombolas reconhecidas oficialmente.

O processo de autodeclaração é feito pela própria comunidade, que faz uma assembleia com os moradores e encaminha a ata para a Fundação Cultural Palmares para que ela emita a certificação. Esta entidade, ao longo dos anos, tem trabalhado para promover uma política de cultura igualitária e inclusiva, que contribua para a valorização da história e das manifestações culturais e artísticas negras brasileiras como patrimônios nacionais.

O coordenador de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), Clever Machado, fez a entrega da certificação à prefeita Darcira de Souza Pereira, que também é quilombola. "Há anos, essas famílias tradicionais buscam esse reconhecimento, o que aconteceu no final do ano passado. Na terça-feira estivemos na Cidade Administrativa para receber a certificação. Isso nos enche de orgulho e alegria", afirma a prefeita Darcira de Souza Pereira, oriunda da comunidade Córrego do Mato.

https://www.hojeemdia.com.br/horizontes/cidades/comunidade-quilombola-d…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.