VOLTAR

BNDES financia projetos de restauração ecológica e economia florestal

((o))eco - http://www.oeco.org.br/
Autor: Sabrina Rodrigues
27 de jun de 2018

BNDES financia projetos de restauração ecológica e economia florestal
27 junho 2018 19:03

Por Sabrina Rodrigues

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está financiando projetos que promovam a recuperação, a manutenção e o uso sustentável da vegetação em biomas brasileiros. Entre os itens financiáveis estão a aquisição de sementes e mudas, a compra de máquinas e equipamentos, a implantação de cercas e viveiros, a contratação de treinamentos e de assistência técnica, entre outros.

Estão aptos a receber apoio financeiro do BNDES empreendimentos de restauração ecológica com espécies nativas; de manejo florestal de áreas com vegetação nativa existente; de plantio biodiverso de espécies nativas com fins econômicos, plantio homogêneo de espécies nativas e plantio consorciado de espécies nativas e exóticas em reservas legais; e sistemas agroflorestais.

Entre os programas e linhas de crédito do BNDES voltados para restauração ecológica e economia florestal, destacam-se o Programa Fundo Nacional de Mudança do Clima (Fundo Clima), o BNDES Finem - Recuperação e Conservação de Ecossistemas e Biodiversidade e o BNDES Finem - Agropecuária. Os financiamentos com essa finalidade também podem combinar diferentes linhas, com diferentes condições.

O banco afirma estar alinhado com os avanços na implementação do novo Código Florestal e com os compromissos internacionais assumidos pelo país no Acordo de Paris.

O valor mínimo para financiamento é de R$ 3 milhões, a depender da linha, e a participação do Banco é de até 80% do projeto.

Mais informações sobre quem pode solicitar, como proceder, programas, as linhas de crédito, prazos, condições podem ser obtidas em www.bndes.gov.br/economia-florestal .

http://www.oeco.org.br/blogs/salada-verde/bndes-financia-projetos-de-re…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.