VOLTAR

10 são presos no Xingu

Diário de Cuiabá - http://www.diariodecuiaba.com.br
Autor: ALECY ALVES
09 de mai de 2009

Armas, toras de madeira e caminhões são apreendidos dentro de reserva; suspeita é que 3 sejam pistoleiros

Dez pessoas foram presas nos últimos dois dias no município de Feliz Natal (540 quilômetros de Cuiabá) na Operação Arco de Fogo, da Polícia Federal, por desmatamento e transporte ilegal de madeira. As propriedades onde os crimes ambientais estavam sendo cometidos ficam dentro do Parque Nacional do Xingu, uma das maiores reservas indígenas do país.

Os agentes encontraram uma grande área devastada e uma quantidade expressiva de madeira pronta para ser transportada. Cinco caminhoneiros e dois operadores de motosserra foram presos por policiais federais. Entretanto, um dos responsáveis pela exploração ilegal de recursos ambientais continua foragido.

No local foram encontrados um trator, um caminhão carregado com toras de madeira e mais três que estavam sendo preparados para receber o carregamento. Durante a fiscalização, três homens armados foram presos em uma estrada própria da área de desmatamento. Eles se assustaram com a movimentação das viaturas e policiais e tentaram fugir abandonando um carro e armas.

Sob o poder deles foram encontrados três revolveres calibre 38 e uma espingarda calibre 20. A polícia acredita que eles sejam pistoleiros e apura as suspeitas de que crimes por encomenda estariam prestes a acontecer na região. O trio e os demais presos estão em Feliz Natal, onde serão ouvidos. A PF se recusou a divulgar tanto o nome dos presos.

A equipe que trabalhou na mais nova ação da operação Arco de Fogo foi formada por 16 policiais da Força Nacional, 16 fiscais do Instituto Brasileiro de Recursos Renováveis (Ibama) e 10 agentes e um delegado da Polícia Federal. Criada há mais de um ano para combater crimes ambientais na região amazônica, a operação é uma ação permanente da Polícia Federal e Ibama, com bases fixas em três estados - Mato Grosso, Rondônia e Pará. Em Mato Grosso, a central funciona na cidade de Sinop, a maior no norte do Estado.

A operação culminou em outras prisões e apreensões nos últimos dias no extremo norte mato-grossense. Na terça-feira (5), a PF prendeu sete pessoas responsáveis por dois garimpos clandestinos de ouro na região do município de Peixoto de Azevedo (a 691 quilômetros de Cuiabá). Entre os sete presos, três eram os donos dos garimpos, que não ofereceram resistência aos policiais após a prática clandestina ter sido flagrada em pleno funcionamento numa área de aproximadamente 100 hectares no meio da floresta, a cerca de 100 metros do rio Peixoto.

Quarenta trabalhadores dos garimpos foram liberados após a operação, exceto quatro operadores do maquinário apreendido, que incluiu dois tratores do tipo esteira e três retro-escavadeiras, no valor total de R$ 1,5 milhão.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.