VOLTAR

Wikiflora Amazônia para a Rio +20

OECO - http://www.oecoamazonia.com
Autor: Ricardo Braga-Neto
05 de jul de 2011

A Amazônia abriga a maior extensão de florestas tropicais do planeta, mas sua diversidade botânica continua pouco conhecida. A maior parte da região nunca foi explorada cientificamente porque a quantidade de pesquisadores em atividade é muito baixa, mas uma nova ferramenta promete revolucionar a geração e disponibilização de conhecimento, o 'Wikiflora Amazônia'. Idealizado pelo pesquisador Alberto Vicentini, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), o Wikiflora é apoiado pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, que recentemente anunciou que a ferramenta será desenvolvida em parceria com a IBM Brasil e que será apresentada na Conferência das Nações Unidas em Desenvolvimento Sustentável (Rio +20) em junho de 2012.

"Se não criarmos uma metodologia nova, nem em cem anos será possível conhecer toda a Amazônia", enfatiza o ministro. A base do Wikiflora consistirá no compartilhamento do conhecimento botânico usando bancos de dados integrados a uma interface web, o que permite tanto a entrada de informações quanto a ramificação em produtos variados, como enciclopédias virtuais, guias de campo e chaves interativas para identificar espécies, entre outras possibilidades. Vicentini vem desenvolvendo o embrião da plataforma com o objetivo de agregar informações morfológicas, ecológicas, genéticas e geográficas, além de imagens e outras evidências. Segundo ele, o Wikiflora deve "contribuir para sintetizar o conhecimento, reduzir a duplicação de esforços e oferecer amplo acesso ao conhecimento sobre a biodiversidade na Amazônia".

O maior desafio do Wikiflora é atender às diferentes necessidades da sociedade, sejam de pesquisadores taxonomistas, comunitários, turistas ou estudantes do ensino médio. "É importante que a proposta seja desenvolvida de forma modular para permitir a inovação e a adaptação às necessidades particulares de cada pesquisador, projeto ou instituição", ressalta Vicentini.

Para Flávia Costa, coordenadora do Programa de Pesquisas Ecológicas de Longa Duração (PELD) na Amazônia, o potencial da ferramenta é ainda maior quando se considera a integração com outras iniciativas do Ministério da Ciência e Tecnologia na região amazônica. "Dados coletados por ecólogos e outros pesquisadores podem ser úteis para os taxonomistas especialistas e o Wikiflora pode contribuir para agregar essa informação", diz.

Com o aumento da inclusão digital na Amazônia, a existência do Wikiflora contribuirá muito para a descentralização geográfica na produção e acesso ao conhecimento. Uma ferramenta gratuita, acessível e flexível que poderá ser utilizada por vários setores da sociedade.

http://www.oecoamazonia.com/br/blog/257-wikiflora-amazonia-para-a-rio-20

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.