VOLTAR

Vídeo: Por que uma empresa vai preferir comprar produtos que vem de uma unidade de conservação? Por Roberto Palmieri

((o))eco - http://www.oeco.org.br/
Autor: Marcio Isensee e Sá
29 de ago de 2018

Vídeo: Por que uma empresa vai preferir comprar produtos que vem de uma unidade de conservação? Por Roberto Palmieri
29 agosto 2018 13:50

Por Marcio Isensee e Sá (Texto, Vídeo e Edição)

Unidades de Conservação que preveem a ocupação de comunidades tradicionais vivem um eterno dilema: conservação versus desenvolvimento social. Para superar essa dicotomia, o projeto Floresta de Valor, do IMAFLORA, acredita que fomentar atividades produtivas são um caminho para a consolidação de áreas protegidas, conservação de recursos naturais e valorização populações tradicionais e agricultores familiares.

Quando uma empresa opta por comprar produtos de dentro de UCs, obtém benefícios como garantir a origem do produto, gerar riqueza com uma produção sustentável e, de bandeja, garantir que sua imagem não esteja atrelada a destruição da floresta. Segundo Roberto Palmieri, Secretário Adjunto do Imaflora, "as empresas que procuram unidades de conservação e populações tradicionais para trabalhar no longo prazo com cadeias de fornecimento sustentáveis está possibilitando que se mantenha a floresta em pé além de gerar retorno financeiro para que as comunidades possam acessar bens de consumos e serviços".

O desafio do IMAFLORA é envolver mais o setor privado e alinhar a produção com políticas públicas e uma gestão completa da unidade de conservação, com Plano de Manejo que defina a forma e limites do manejo dos recursos. "As comunidades já fazem o manejo dos recursos e podem oferecer e garantir um produto de origem sustentável, inclusive com rastreabilidade", conclui Palmieri.

Assista: https://youtu.be/g0FrjaNxEIg

https://www.oeco.org.br/noticias/video-por-que-uma-empresa-vai-preferir…

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.