VOLTAR

A vida do povo é um inferno

Porantim
01 de mar de 1990

O contato de grupos indígenas habitantes da região do Juruá com frentes extrativistas reduziu essa população a cerca de 1500 índios Kulina, Katukina, Deni e Kanamari. Segundo os integrantes do Projeto Kulina de Tefé e do Projeto Deni, as condições de existência dos povos indígenas do rio Juruá estão cada vez mais difíceis. A notícia denuncia que hoje esses povos passam fome, "enquanto a Fundação Nacional do Índio assiste, de braços cruzados, o saque de inúmeras toneladas de peixes de seus rios e lagos, e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama) apenas presencia o roubo de mandeiras".

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.