VOLTAR

Um disfarce chamado caboclo

Folhetim (São Paulo - SP)
20 de abr de 1980

O antropólogo e professor da Universidade Estadual de Campinas afirma que a noção de que os indígenas estão desaparecendo é errada e serve a interesses antindigenistas. Para ele, mesmo através da imagem do caboclo, isto é, do indígenas que teria se transformado em camponês, existe uma série de dispositivos mantidos de conservação da identidade do índio. Aponta que atualmente existem mais de 150 povos espalhados pelo Brasil, estando a maioria na região da Amazônia Legal. Faz uma comparação entre os filmes "Raoni" e "Terra dos índios", dizendo que tanto a figura do índio Raonim, "pintado, nu, etc.", quanto as dos índios Guarani e Kaingang, assemelhados as populações rurais, são índios, tendo cada um passado por suas especificidades históricas. Finaliza dizendo que existem pesquisas que apontam a tendência a que grupos indígenas reapareçam, através de um processo de reassumir a própria identidade.

As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos. Caso você encontre alguma inconsistência nas notícias, por favor, entre em contato diretamente com a fonte.